30/05/2015

Os Taxistas de Nápoli - Cuidado!

É uma caso sério... não são todos, é verdade, mas a maioria dos táxis que pegamos em Nápoles fez de tudo pra cobrar sem usar o taxímetro.
Chegam ao cúmulo de puxar o banco da frente por cima do taxímetro pra que você não veja que não está ligado, e aí cobram quanto bem querem.
Pode prestar atenção, se você pega um táxi em Nápoles e o motorista já vem de cara fechada, pode apostar que o banco ao lado do motorista já está pra frente...e a cara fechada é pra que você nem tenha coragem de pedir pra ele arrumar o banco.
A solução é antes de entrar no carro olhar o banco, e antes do carro sair, se o taxímetro não estiver ligado pedir ao motorista que ligue, se ele não quiser troque de táxi.
Ah... e ande com troco para pagar a quantia exata e dar gorjeta só quando você quiser mesmo dar gorjeta, pois se o taxista por a mão em uma nota maior, você pode nem ver a cor do troco, ele faz que não entendeu e fica com o troco na maior cara de pau. 

Honrosas exceções, nem tudo está perdido em Napoli

Existem, ainda bem, honrosas exceções, taxistas honestos e simpáticos, daqueles italianos que a gente conhece aqui no Brasil "tutti bona gente", como aquele tiozinho que trouxe a gente de volta para o centro, depois de termos ido a um mirante no taxi do próprio Dom Corneone...rsrs
O tiozinho foi um fofo, veio conversando e mostrando as coisas pelo caminho, e até tirou uma foto da gente na frente daquele castelo que tem na praia.

 Isso tudo com o taxímetro ligado, como deve ser.

Veja mais sobre a Itália

Um comentário :

  1. Muito bom artigo. Apenas comentando e acrescento, me lembro de ter pego em Napoli 3 taxis no total, pois ficamos lá apenas 2 ou 3 noites.
    Dois deles estavam com o famigerado banco da frente abaixado. No final da corrida, como o taxímetro não estava ligado impuseram o preço com a maior cara de pau.
    Um deles, deu um preço de certo modo ultrajante, certamente o dobro de uma corrida normal se comparado com taxis que pegamos em Roma anteriormente.
    Mas na hora não existia outra saída à não ser pagar. O que restaria fazer? Discutir ou procurar um policial? Tudo bem que seria uma solução para levar à forra uma situação ultrajante.
    Mas na hora o que vem à cabeça é o bom senso, ou seja, é melhor pagar e continuar um dia de passeio, do que perder tempo com complicações e passar raiva. Enfim, a opção foi esquecer os trambiqueiros, pois nosso objetivo era passear e divertir na viagem, enquanto que o do trambiqueiro era simplesmente explorar turistas e viajantes.
    Uma pena que isto aconteça, pois dá má reputação à cidade e também aos colegas de profissão dele.
    No fim de tudo fica a lição, ao entrar em um taxi, principalmente em Nápoles, cuidado com o banco abaixado, pois lá vem picaretagem.

    Mas isto não estragou nossa viagem, o que vimos de bonito e interessante em Nápoli e nas atrações vizinhas superou em muito estes inconvenientes.

    E já que estamos falando da bela Napoli, acho que a administração da cidade deveria limpar mais algumas ruas, pois além do lixo espalhado em alguns locais, alguns monumentos históricos estavam com as paredes externas muito sujas. Quem sabe uma solução para acabar com os taxistas trambiqueiros, seria condená-los à penas alternativas como limpar o lixo da rua ou lavar as paredes sujas. Matariam dois coelhos com uma cajadada só :)

    ResponderExcluir

Comente, dê sua opinião !