05/06/2015

Escalada Turistica Arquitetônica


Muitos monumentos turísticos e arquitetônicos da Europa, cuja função principal não é ser um mirante, permitem a subida ao topo de suas cúpulas, torres, terraços ou partes mais altas. Estas construções geralmente são igrejas com seus campanários e batistérios, ou também torres medievais de castelos, entre outros.
Estas escadarias são como bastidores da grande construção, e originalmente não foram feitos para serem destaques, mas sim para dar acesso à manutenção de partes altas ou acessar torres de fortalezas.
Muitos viajantes, entre eu que vos escrevo, não perdem a oportunidade de subir às vezes mais de 500 degraus para chegar ao topo de uma torre ou de uma cúpula destas antigas construções, muitas vezes com mais de 4 ou 5 séculos, e em certos casos 1000 ou mais de 1000 anos.
San Gemignano é uma cidade medieval na região da Toscana na Itália, perto de Florença. É considerada a Manhattan da Idade Média por já ter tido cerca de 80 torres altas. Observe que aquelas duas torres parecem ter inspirado as Torres Gêmeas que existiam em Manhattan. Atualmente é permitido aos visitantes subir ao topo da torre mais alta da cidade.

O que é a modalidade de Escalada ou Alpinismo Turístico Arquitetônico?

Não existe uma definição precisa para este tipo de atividade e nem que se saiba existe uma associação que registre recordes de escaladas desta modalidade. Mas o que é certo é que, para quem gosta de ir às partes altas através de escadas de antigas construções, existem alguns requisitos e habilidades que os praticantes devem ter como:
1- Não vale acrescentar ao currículo de escalas percursos de elevador. Somente a contagem de degraus para chegar às alturas devem ser computadas ou consideradas.
2- O praticante da Escalada Arquitetônica não deve ter medo de altura, nem medo de lugares apertados ou ser claustrofóbico. Geralmente durante as subidas às cúpulas e torres de antigas construções passa-se por escadas apertadas e geralmente íngremes, onde em muitos locais mal dá para passar uma pessoa, principalmente quando se sobe em direção ao topo de cúpulas de igrejas como a da Basílica de São Pedro no Vaticano ou do Duomo de Florença, a Santa Maria del Fiori.
3- É preciso pagar para subir. Embora a entrada em muitas igrejas não seja cobrada para visitar a nave central, naves laterais e demais partes, geralmente é preciso comprar um bilhete para visitar o campanário, batistério ou para subir à cúpula.
4- Não é preciso ser um atleta, pois não se usa cordas, apenas sobe-se escadas. Mas é preciso ser saudável e não ter problemas de saúde que impeçam atividades físicas um pouco puxadas.
5- Não pode ser obeso ou muito gordo, pois alguns trechos de escadaria chegam a medir menos que 60 centímetros de largura e alguns trechos contam com estreitíssimas escadas helicoidais de pedra (vulgarmente chamadas escada caracol). E deve-se lembrar que, em alguns trechos tem filas de pessoas subindo e descendo ao mesmo tempo.

Lista de monumentos para escalada turística arquitetônica:

A lista pode não conter todos que merecem figurar, mas contém os principais:
  • 1- Basílica de São Pedro, no Vaticano | Cúpula
  • 2- Duomo Santa Maria del Fiori, em Florença | Cúpula, Campanário e o Batistério apesar de ser mais baixo.
  • 3- Torre de Pisa ou Camapanário do Duomo ou Catedral de Pisa
  • 4- Palácio Vechio em Floreça | Torre alta
  • 5- San Gimignano | Torre mais alta
  • 6- Saint Paul Cathedral em Londres | Cúpula
  • 7- Arco do Triunfo em Paris | Subida ao Terraço
  • 8- Torre Eiffel | Pode subir de escada ao invés de elevador
  • 9- Basílica de São Marcos, em Veneza | Campanário e terraço

Acima o Duomo de Florença ou Catedral  Santa Maria del Fiori. Na foto menor, no canto inferior direito vemos a cúpula projetada por Brunelleschi com seu mirante, vista do topo do campanário ou torre do sino da mesma igreja, projetado por Giotto. Veja que tanto no campanário como no topo da cúpula existem pessoas vendo a paisagem.
A Igreja é uma das mais importantes obras arquitetônicas de todos os tempos. O uso do mármore é impressionante nas cores verde e branco. A cúpula foi projetada pelo arquiteto Brunelleschi no início do século 14 e finalizada em 1436.
Para chegar ao topo de onde tem-se uma bela vista de Florença ou Firenze como dizem os italianos, é preciso subir mais de 500 degraus.
Topo do campanário de Giotto e topo da cúpula projetada por Brunelleschi, ambas do Duomo de Florença.
Acima do lado esquerdo o topo do campanário ou torre do sino da Igreja Santa Maria del Fiori, em foto tirada quando eu estava na cúpula da Igreja. Observe as pessoas como aparecem pequenas no topo. Do lado direito, foto da cúpula da mesma igreja, mas fotografada quando estive no campanário que você vê ao lado.
Acima o Palácio Vechio e uma estreita escadaria que leva à torre alta.
O Palácio Vecchio ou "Palácio Velho" foi a antiga morada da família Médici que por alguns séculos dominou politicamente Florença e parte da Toscana. A família também patrocinava as artes e estudos científicos. Hoje o palácio é aberto à visitação e é também sede da Prefeitura de Florença. A subida ao topo é um espetáculo que vale a pena, com vistas de Firenza se descortinando a cada nível. É possível observar a arquitetura e alguns artifícios de defesa do palácio que era também uma fortaleza do tempo das cidades estado. Durante o percurso ao topo vemos inúmeras portas fortes e pesadas, que numa situação de emergência seriam usadas. O nome Palácio Velho é dado porque existe um palácio em estilo neoclássico do outro lado do Rio Arno que corta Florença, palácio este construído também pela família Médici para onde gerações posteriores da família se mudaram após seus antepassados residirem por muito tempo no palácio velho.
Acima a Basílica de São Pedro no Vaticano com a cúpula projetada por Michelangelo Buonarote.
A Basílica de São Pedro é também um dos maiores monumentos e ícones da história da Arquitetura e das Artes. Sua construção demorou muito tempo e o resultado final contou com a contribuição de vários grandes arquitetos ao longo da construção. A cúpula que só foi terminada em 1590, foi projetada por Michelangelo Buonarote, grande pintor, escultor e arquiteto, com inúmeras obras espalhadas por Roma. Para chegar ao topo da cúpula de onde se tem uma vista de 360 graus de Roma, é preciso subir cerca de 500 degraus. Entretanto, até o terraço da igreja, é possível ir de elevador. A escadaria de subida para a cúpula é íngreme e estreita, tendo alguns trechos com as paredes um pouco inclinadas.
Torre de Pisa ou Campanário da Catedral da Cidade de Pisa, na Toscana, Região da Itália.
A torre do sino da Catedral de Pisa é uma das mais belas obras arquitetônicas de todos os tempos. Construída em mármore, esta inclinou-se ao longo dos séculos. Nas últimas décadas foi feito um processo de estabilização das fundações para impedir o aumento de sua inclinação. É também permitido subir ao topo da torre de onde se tem uma bela vista da cidade de Pisa e da paisagem da Toscana, região da Itália onde se situa esta obra. A catedral de Pisa e o campanário também merecem ser visitados, estando ambos ocupando lugar de destaque na história da arte e da arquitetura.

Um comentário :

  1. Eu estava até com medo de que em algum sinal de trânsito parasse perto de nós um carro de bombeiros. Vai que meu marido vê a escada e resolve subir...rsrsrs

    ResponderExcluir

Comente, dê sua opinião !