Atravessando os Andes | Santiago a Mendoza, Jornada Inesquecível

Na verdade minha jornada pelos Andes começou quando meu voo do Rio de Janeiro para Santiago no Chile passou sobre a Cordilheira dos Andes. Momentos antes o piloto avisou aos passageiros sobre a passagem, e pudemos ver alguns picos bem de perto, um momento belíssimo e inesquecível, e que depois iria se repetir quando pude ver as cordilheiras também por terra, percorrendo uma estrada que corta os Andes.
Havia planejado uma viagem pelo Chile e depois seguindo para a Argentina, subindo e descendo os Andes indo de Santiago capital do Chile a Mendoza, cidade do lado da Argentina, aos pés da cordilheira.
Se trata de uma das mais interessantes viagens com rotas cênicas, de rara beleza envolvendo natureza.
Veja no final deste post, meu resumo de dicas para fazer esta viagem de ônibus.
Parte do trajeto da travessia dos Andes
Parte do trajeto da travessia dos Andes

Acima vemos parte do trajeto da travessia dos Andes, com montanhas, picos e precipício com riacaho ao fundo.

Planejamento e compra da passagem ocupando o melhor lugar para ver os cenários.

Na verdade, ao contrário da maioria dos relatos de outros viajantes, eu não comprei a minha passagem com muita antecedência, nem pela internet e nem quando ainda estava no Brasil. Não foi por falta de tentativa, mas sim porque o site que vendia passagens da empresa de ônibus Cata e outras do gênero não estava aceitando cartões de credito brasileiro. Cheguei a ligar para lá e disseram que havia um problema e que em breve seria solucionado.
Enfim, acabei comprando minha passagem em Santiago mesmo, na véspera da viagem, e consegui dois lugares na frente, no segundo andar do ônibus da empresa Cata que possui janelas panorâmicas frontais.
Então fica a dica, viação Cata e tente conseguir algum dos 4 lugares do piso superior (ônibus de 2 andares) que ficam de frente para a janelas frontais. Você terá um "telão" para curtir a viagem e as cenas ao vivo!
Quando comprei foi em Maio, final do Outono e portanto menos procura. Se viajar em outra época, talvez seja melhor reservar com alguma antecedência.

Cenas belissímas do outono mesclaram vegetaçao, corredeiras de aguas cristalinas e neve nos picos das montanhas.

Se voce viajar no inverno certamente somente verá neve cobrindo tudo, e ainda corre o risco de ter a viagem retardada, paralizada ou cancelada devido a nevascas. Eu sempre prefiro viajar na primavera ou outono devido ao clima mais amenos, não muito quente e nem frio extremo. Deste modo eu e minha mulher tivemos a oportunidade de ver os Andes com todos os tipos de paisagens, tanto com neve como sem neve.
Vinhedos e vegetaçao com coloraçao de outone e as cordilheiras ao fundo.
Vinhedos e vegetaçao com coloraçao de outone e as cordilheiras ao fundo.
No início da viagem, saindo de Santiago no Chile, vimos muitos vinhedos e arvores com folhas já com a coloração de outono. Ao fundo as cordilheiras que são vistas ao redor de Santiago.
Montanhas, cordilheira dos Andes ao fundo e riachos com águas cristalinas
Montanhas, cordilheira dos Andes ao fundo e riachos com águas cristalinas
A medida que a viagem segue, vemos algumas corredeiras ou pequenos rios de águas cristalinas e leito de pedras ao longo de alguns trechos da estrada. Pequenas pontes feitas de cabos de aço para travessia de moradores áreas campestres também são vistas.
Rumo aos Andes e a neve fica mais próxima
Rumo aos Andes e a neve fica mais próxima
Seguindo adiante ao Andes, vemos os picos com neve se aproximarem. Vemos montanhas enormes, cobertas ou feitas de pedras e pedregulhos.
Montanhas gigantescas e corredeira ao fundo das cordilheiras
Montanhas gigantescas e corredeira ao fundo das cordilheiras
Montanhas gigantescas, algumas parcialmente cobertas com vegetação rasa e terreno pedregulhoso fazem parte do cenário com enormes desfiladeiros e corredeiras. Muito bonito ver imensidão e a grandiosidade da natureza.
Cenários fantásticos de beleza natural da viagem Santiago a Mendoza
Cenários fantásticos de beleza natural da viagem Santiago a Mendoza
A estrada longa e continua se perde de frente de nossa vista, enquanto os enormes maçicos com cumes de neve se tornam mais próximos. Uma corredeira com águas límpidas corre ao longo deste trecho da estrada.
Desfiladeiro na travessia dos Andes. A estrada vista do lado direito.
Desfiladeiro na travessia dos Andes. A estrada vista do lado direito.
Acima um foto de desfiladeiro com a estrada vista do lado direito. Durante o percurso vemos também uma velha linha de trem, que em muitas partes do trajeto segue do outro lado dos desfiladeiros, em outros trechos do mesmo lado.
Grandes maciços e a estrada protegida dos desabamentos e avalanches nos Andes
Grandes maciços e a estrada protegida dos desabamentos e avalanches nos Andes
Embora exista um longo túnel em certo trecho da estrada, o que vemos acima não é um túnel. Acima vemos um artifício de engenharia, usado em alguns trechos rentes a partes muito inclinadas das montanhas. Algumas partes da estrada, muito pequenas em comparação como o todo, possuem um teto de contenção para avalanches quando a neve toma conta do cenário no inverno.
Estrada em zig zag na cordilheira dos Andes
Estrada em zig zag na cordilheira dos Andes
Em certo ponto do trajeto começamos a subir uma longa série de curvas em zig zag. Enormes caminhos de carga são vistos neste percurso. Quando se pensa que as curvas estão termindano vemos outra.
Estrada nos Andes entre Chile e Argentina
Estrada nos Andes entre Chile e Argentina
Curvas e mais curvas são formam subidas ou descidas dependendo da direção, se para o Chile ou para a Argentina. No nosso caso, uma subida. Do lado e ao fundo montanhas gigantescas com cumes cobertos de neve formam este cenário grandioso.
Estrada sinuosa na cordilheira dos Andes liga Chile a Argentina
Estrada sinuosa na cordilheira dos Andes liga Chile a Argentina
Quase no topo, subindo curvas e mais curvas. Estas curvas não contam com proteção de guard rail ou cercas de aço ou concreto. O que parece cerca, em branco e vermelho na verdade são sinalizadores de curvas. Se perder o controle ou sair da estrada rola ladeira abaixo. Durante a subida vimos um containeir ou carroceria toda amassada de algum caminhão que desabou precipício abaixo.
Vale entre enormes montanhas nos Andes
Vale entre enormes montanhas nos Andes
E o ônibus segue viagem ! Em foto tirada agora da janela lateral, um enorme vale em um altiplano, com duas enormes montanhas dos Andes dos lados e fundos. A neve cobre os picos mais altos.
Estrada na cordilheira dos Andes liga Santiago do Chile a Mendoza na Argentina
Estrada na cordilheira dos Andes liga Santiago do Chile a Mendoza na Argentina
A imensidão e a grandeza do cenário faz a estrada parecer algumas retas infinitas, mas na verdade sempre com uma curva no horizonte. E a neve cada vez se fazendo mais presente nas altitudes mesmo durante o outono, no mês de Maio, quando fizemos a viagem.
Neve na estrada nos Andes entre Argentina e Chile
Neve na estrada nos Andes entre Argentina e Chile
 A certa altitude a neve se faz mais predominante no cenário da cordilheira dos Andes. Ao fundo um trecho de estrada coberta com laje de concreto para evitar obstrução e acidentes em cados de avalanches no inverno.
Placa anuncia ponto da fronteira entre Chile e Argentina nos Andes
Placa anuncia ponto da fronteira entre Chile e Argentina nos Andes
Já bem no alto cerca de 3000 mil metros ou mais de altitude, uma placa sinaliza o ponto de fornteira entre Chile e Argentina.
Acima as proteções contra avalanches feitas em concreto na estrada dos Andes
Acima as proteções contra avalanches feitas em concreto na estrada dos Andes
Na foto acima, vemos um trecho da estrada seguindo enorme encosta íngreme com bastante neve. A laje de concreto protege a estrada contra avalanches que se potencializam no inverno. Na época que fizemos o trajeto, no outono, não existiu interrupção alguma.
Neve nas montanhas e estrada nos Andes
Neve nas montanhas e estrada nos Andes
Acima vemos a estrada totalmente cercada de neve e com as montanhas bastante cobertas. Neste ponto deveríamos estar a mais de 3 mil metros de altitude.
No alto dos Andes, no posto da Aduana Chile-Argentina.
No alto dos Andes, no posto da Aduana Chile-Argentina.
No alto dos Andes, mais de 3000 metros de altitude, existe um posto de parada da Aduana conjunta do Chile e Argentina. Neste local os viajantes apresentam seus passaportes ou carteira de identidade para comprovar saída do Chile e receber visto de entrada na Argentina. As bagagens passam nas esteiras de raio X e bagagens de mão geralmente são revisadas. Se trata de uma parte um pouco monótona da viagem, pois pode ser um pouco demorado. No nosso caso, havia uns 3 ônibus e uma van à nossa frente.
Lanchonete nos Andes, na aduana do Chile-Argentina.
Lanchonete nos Andes, na aduana do Chile-Argentina.
Existe um pequeno bar que vende café e alguns comestíveis, mas não aceitam cartões de crédito. Fica de fora dos posto de fiscalização que é coberto. Na verdade uma grande área coberta para proteção contra neve e frio que torna as condições extremas naquela altitude. Mesmo que não esteja nevando, ainda assim existe um vento cortante.
Após passarmos pela alfandega o ônibus seguiu viagem, já quase à noite.

De noite neblina e chuva

Próximo ao final da viagem havia muita neblina na estrada. Eu jamais faria esta viagem dirigindo um carro por conta própria, principalmente a noite. Seria perigosíssimo, principalmente se por algum motivo tivesse que parar no acostamento. A visibilidade é muito ruim, e somente um motorista profissional se sentiria seguro, como é o caso do motorista do ônibus que seguia confiante em frente.

Meu resumo de dicas para a viagem de Santiago a Mendoza

  • A viagem dura cerca de 8 horas.
  • Se quiser ver o trecho completo com luz do dia, peque um ônibus que saia de manhã cedo.
  • A empresa Cata Internacional possui janela frontal não obstruída no segundo andar. Os lugares de 1 a 4 ficam de frente para estas janelas.
  • Sugiro fazer a viagem no outono, primavera ou verão. 
  • No inverno pode haver cancelamento ou atrasos devido a avalanches e você verá quase que somente neve.
  • Em minha opinião, outono ou primavera é a melhor época, pois pode-se ver neve, mas também vegetação e corredeiras.

Veja também



Comentários

  1. Bom Dia! Voce conseguiu comprar a passagem antecipadamente? Por qual site? Como foi o pagamento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jacqueline,
      Eu não consegui comprar antes, e acabei comprando quando estava em Santiago. Estando em Santiago, um dia antes de viajar para Mendoza fomos ao Terminal de Buses Central (pelo metro desça na Estacão Universidad de Santiago) e compramos dois bilhetes para a janela da frente. Foi em Maio e não havia grande procura. Mas se você for comprar quando estiver em Santiago no Chile, mesmo fora de alta temporada (meses fora do verao ) sugiro ir na rodoviária alguns dias antes da viagem.
      Se fizer a viagem, depois volte aqui e diga como foi.
      Abraços e boa viagem ! :)

      Excluir
    2. Obrigada pela informação. Irei agora dia 01 de setembro. Tentei comprar pelo site, mas nao estão aceitando cartão de crédito de outro país. Estou com medo de não encontrar passagem, pois nos sites estão mostrando que já tem 1 onibus lotado e o outro, está pela metade. Em pesquisas, encontrei como alternativa, esse serviço de Van (http://www.ruta-patagonia.com/Tour.php). Caso não encontre passagem, vou tentar ir nessa. Voltarei sim, para dar o meu relato. obrigada!!!!

      Excluir

Postar um comentário

Comente, dê sua opinião !