16/06/2016

Palácio Salvo

Quando estive em Montevidéu, Uruguai, me chamou atenção o Palácio Salvo, um edifício em estilo eclético e com uma torre que me lembrava de certo modo cenas de foguetes de Flash Gordon.

Fiz uma visita guiada, quando um guia nos conta a história do edifício. Durante a visita podemos chegar o mirante no topo da torre e também em um terraço mais baixo, de onde se tem belas vistas de Montevidéu. Este emblemático edifício possui também inúmeras curiosidades.
Torre do Palácio Salvo em Montevidéu
Torre do Palácio Salvo em Montevidéu
O Palácio Salvo é o mais importante e chamativo ícone arquitetônico de Montevidéu, localizado na principal praça da cidade, a Praça Independência, onde situa-se também o antigo e o novo edifício da Presidência da República.

Possui estilo eclético e fantasioso, fazendo alusão a diferentes períodos da história da arquitetura como diferentes estilos arquitetônicos. Em sua cúpula, existe referencias à arquitetura indiana. Mas eu por exemplo, vejo também um inspiração futurista na cúpula mais alta, com alguns "foguetinhos" ao estilo Flash Gordon.
Palácio Salvo na Praça Independência em Montevidéu
Palácio Salvo na Praça Independência em Montevidéu
Foi inaugurado em 1928, e desde sua inauguração, até o ano de 1935, o Palácio Salvo já foi o edifício mais alto das Américas. Em 1935 o Edifífico Kavanagh em Buenos Aires tornou-se o mais alto naquela época.

Possui 105 metros de altura, em estilo eclético, projetado pelo arquiteto italiano
Mario Palanti, estabelecido na época em Buenos Aires. Foi construído com a tecnologia da empresa alemã Dyckerhoff & Widmann, pois não havia empresas com no Uruguai naquele época para obras de tal envergadura.
Palacio Salvo | Fachada eclética com arcadas
Palacio Salvo | Fachada eclética com arcadas
Na verdade, dois edifícios quase gêmeos em muitos aspectos foram construídos, seguindo projeto do mesmo arquiteto, o Palacio Salvo em Montevidéu e o Palácio Barolo em Buenos Aires, na Rua de Mayo.
Os palácios possuíam no topo, além de mirante um farol com espelhos refletores, que segundo a concepção idealizada pelo arquiteto, cada um deveria projetar um feixe de luz, feixe este que por sua vez deveriam encontrar-se sobre o Rio da Prata, unindo assim as duas capitais. O arquiteto Palanti concebeu ambos os edifícios como Colunas de Hércules, gerando um portal imaginário de luz sobre o Rio de Prata.
Entretanto, a distância era enorme, e os feixes de luz jamais se encontraram.
Arcadas, interior do mirante, fachada e torre do Palácio Salvo
Arcadas, interior do mirante, fachada e torre do Palácio Salvo
No local do Palácio Salvo, existiu anteriormente o Café La Giralda, onde em 1916 foi tocado pela primeira vez o tango La cumparsita. A confeitaria foi demolida para dar lugar ao arranha céu.

Segundo Mario Palanti, o Palácio Salvo e Barolo eram uma versão latina dos arranha céus que proliferavam em Nova York. Analogias e referências a Divina Comédia de Dante Alighieri estão presentes tanto no Palácio Salvo como no Palácio Barolo de Buenos Aires.
Plaza Independência vista da torre do Palácio Salvo
Plaza Independência vista da torre do Palácio Salvo
O edifício foi bastante criticado em sua época por alguns críticos adeptos da vertente modernistas, que o chamavam de projeto retrógrado. O vociferante Le Corbusier foi um dos que dispararam sua metralhadora giratória contra o projeto quando este passou pelo Uruguai. Segundo dizem, este disse à alunos de arquitetura que o edifício merecia ser derrubado. Felizmente Le Corbusier tinha apenas uma metralhadora verbal, e o edifício ficou de pé com um monumento fantasioso, em contrapartida à monotonia purista do funcionalismo cúbico e racionalista pregado por Corbusier, que tornou o panorama das cidades do século 20 extremamente enfadonho. Salve ou viva o Palácio Salvo!
Praça Independência em Montevidéu vista do Palácio Salvo
Praça Independência em Montevidéu vista do Palácio Salvo
O edifício funcionou como um hotel, de acordo com o projeto inicial até meados da década de 1970, quando então foi transformado em um condomínio residencial.
Inicialmente os elevadores não chegavam até o final da torre mais alta. Para chegar até o topo da torre era preciso subir 10 andares de escada. E os apartamentos que ficavam nesta torre, também tinham que ser alcançados de escada. Posteriormente foram acrescidos pequenos dois pequenos elevadores para acessar todos os andares da torre.
Torre do Palácio Salvo vista do Mirante da Prefeitura de Montevidéu
Torre do Palácio Salvo vista do Mirante da Prefeitura de Montevidéu
A família Salvo comprou o terreno em 1922 e empreendeu a construção do hotel. Um dos proprietários foi assassinado após uma discussão, muito tempo após a inauguração, quando o edifício ainda funcionava como hotel. A discussão aconteceu em grande hall de elevadores, em um dos andares do edifício. Diz a lenda, ou quem sabe verdade, o fantasma do empreendedor deste então tem sido avistado naquele mesmo local.

Veja também

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente, dê sua opinião !